top of page

COMO MEMBRO DA PRESIDÊNCIA, DOM PAULO JACKSON REFORÇA A EVANGELIZAÇÃO E O PAPEL DA IGREJA


Recém-eleito segundo vice-presidente da CNBB, dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa, destacou a “evangelização” e a “tarefa da reconciliação” como dimensões prioritárias da própria conferência que o fizeram aceitar a nova função. Atualmente, bispo de Garanhuns (PE) e presidente da CNBB Nordeste 2, o pastor também enfatizou o critério regional como determinante para o “sim” dado, nesta terça-feira (25), à missão de compor o grupo que estará à frente da Igreja no Brasil pelos próximos quatro anos.

Sobre como pretende realizar seu trabalho no novo cargo, dom Paulo Jackson apontou, em seu primeiro pronunciamento, que irá contribuir para animar e articular a vida missionária e pastoral em todo o país junto com toda a Presidência da CNBB. O bispo também espera cooperar na promoção da colegialidade e da comunhão entre todos que compõem a entidade.

“Eu aceitei, primeiro porque acredito que a tarefa principal da Conferência Episcopal é, sobretudo, o querigma, o anúncio primeiro do nosso Senhor Jesus Cristo. Segundo, pela tarefa da reconciliação interna dentro da própria Igreja e do nosso país. Depois desses processos últimos que vivemos, a Igreja deve ter um papel fundamental nessa reconciliação”, afirmou dom Paulo Jackson.

Único nordestino a integrar a nova Presidência da Conferência Episcopal, dom Paulo Jackson, natural de São José de Espinharas (PB), salientou a importância da sua eleição para os cinco regionais do Nordeste. “É fundamental a presença da região para garantir as várias faces do Brasil e da Igreja na Presidência da CNBB. Então estou muito feliz, agradecido e me coloco a serviço de Deus e da sua Igreja”, declarou.


Combater a crise de transmissão de fé

Com passagem pela Comissão Episcopal para a Animação Bíblico-Catequética, entre 2015 e 2019, dom Paulo Jackson concluiu seu primeiro pronunciamento como segundo vice-presidente da CNBB respondendo aos jornalistas sobre a crise de transmissão de fé. O bispo reconheceu que esse desafio está presente na vida das famílias que não conseguem passar para os seus filhos as suas crenças, dos educadores que não atingem o coração dos jovens, mas também está nas realidades eclesiais

Dom Paulo Jackson, então, defendeu que a Palavra de Deus é o caminho para a constituição de comunidades formada por cristãos e cristãs que, ao beberem dessa fonte, realmente possam fazer a experiência do encontro pessoal com Cristo.

“Eu creio que a Igreja, e aí a Conferência Episcopal tem um papel de animação e articulação, especialmente a Comissão Bíblico-catequética, mas também a Comissão Missionária e as várias outras comissões de ajudarem as pessoas a fazerem esse encontro com Cristo. Os cristãos leigos e leigas, religiosos e religiosas, presbíteros, bispos e diáconos sejam também uma presença importante na vida das pessoas para ajudar a transmitir, sobretudo, a experiência fundante do encontro com Cristo”, concluiu o segundo vice-presidente.

Eleição

Dom Paulo Jackson foi eleito pela 60ª Assembleia Geral da CNBB como segundo vice-presidente da entidade, no segundo escrutínio. Atendendo à recomendação estatutária, o arcebispo de Belo Horizonte (MG) e atual presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, perguntou se dom Paulo aceita a função confiada pela Assembleia. O eleito respondeu:

“Por amor a Jesus Cristo, nosso Senhor e salvador, como serviço à Igreja, profundamente agradecido a todos os irmãos e também para garantir a presidência da região Nordeste a todos os irmãos, eu aceito!”

🎥 Assista ao primeiro pronunciamento de dom Paulo Jackson como segundo vice-presidente da CNBB



37 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page